Como os cépticos se contradizem

Cada dia vejo mais comentários idiotas e até dão vontade de rir, vejam como os cépticos se contradizem!
Se nós escrevemos textos sobre conspirações, eles começam a dizer que não temos fontes de informação, nem argumentos válidos.
Então, se nós citarmos vários cientistas, físicos quãnticos, médicos etc, que apoiam as teorias de conspiração, se mencionarmos nomes de pessoas com estudos científicos, os cépticos em vez de apoiarem e reconhecerem que estamos a basear os argumentos em fontes válidas, viram as costas e dizem "ah e tal como não tens conhecimentos científicos refugias-te nas teorias dos outros".

Então deixo a pergunta:
Os cépticos que vêm comentar contra estes temas, por acaso são todos cientistas ou crãneos com Qi superior a 150 ? Já agora convido-os a apresentar as próprias teorias científicas.

Para abordar vários temas, teríamos que ser formados em várias áreas? Matemática, física, astronomia, engenharia genética, etc? Quantas vidas levaria isso?
Então a única solução válida é procurarmos nomes de pessoas com formação e credibilidade e basearmo-nos nessas fontes de informação.
Por exemplo se falarmos em Sumérios, como não somos arqueólogos, podemos citar Zecharia Sitchin.

SE eu entrar nessa linha de pensamento dos cépticos, aproveito e convido-os a criticarem somente se forem: Cientistas, físicos, astrónomos, arqueólogos, médicos. Se não tiverem formação científica não critiquem estes temas, visto que também não aceitam teorias de quem não seja científicamente formado.

Mas eu sei porque é que recentemente muitos pseudo-intelectuais vêm aqui exibir o ego.
O blog realidadeoculta tem sido divulgado em blogs ( e em comments desses blogs) famosos como "do portugal profundo" entre outros, blogs com milhares de visitas e onde andam muitos do "contra", políticos, maçons frequentam esses blogs e depois acedem ao url do realidadeoculta e vêm aqui espalhar as trevas pessoais.
As críticas destrutivas são apenas reflexos dos demónios interiores que os devoram.

O realidadeoculta foi ainda, recentemente divulgado na revista «Visão História» edição especial sobre a alunagem que celebra 40 anos.

9 comentários:

Anónimo disse...

nunca me esqeco a dois anos atras materias (site terra brasil)que os americanos simplismente perderam os filmes da alunagem.sua maior conquista e nem pra fazer copia.estranho isso nao?

João disse...

Olá. Silvio, ainda não respondeste ao meu mail que enviei para realidadeoculta@gmail.com

Quando for possível, por favor responde.

Anónimo disse...

e por acaso, esta pessoa: http://pt.wikipedia.org/wiki/Zecharia_Sitchin possui alguma credbilidade?

Anónimo disse...

Tens toda a razão no que dizes!
Os cépticos dizem que os teóricos da conspiração são uns malucos, que só dizem disparates, que aquilo que afirmam são só mentiras para ganhar dinheiro...
Como os cépticos duvidam de tudo o que os teóricos da conspiração afirmam.
Acho que se os cépticos fossem investigar todos os acontecimentos duvidosos como por exemplo a alunagem, ou ainda o que aconteceu no dia 11 de Setembro; eles iriam perceber que por vezes os teóricos têm razão no que dizem!
Adoro os temas que tens tratado no teu site! Parabéns pelo esforço!
Também tenho um blog para quem quiser ver, também trato de alguns dos temas deste blog, greatwindow.blogs.sapo.pt!!

lucas disse...

É assim mesmo os ceticos (no Português Brasileiro, se escreve céticos e não cepticos)

Anónimo disse...

Há sete tipos de religiões no mundo. O primeiro tipo baseia-se na ignorância. Como as pessoas não conseguem tolerar a sua ignorância, escondem-na. Como é dificil acreditar que não sabemos, pois vai contra o ego, as pessoas acreditam. Os seus sistemas de crenças funcionam para proteger os seus egos. As crenças parecem ser útiles, mas, a longo prazo, são muito prejudiciais. Uma grande parte da humanidade está ainda neste tipo de religião.
As pessoas deste primeiro tipo, são os fanáticos. Não conseguem sequer tolerar que possa haver outro tipo de religiões no mundo. A sua religião é a única religião. Não podem ler as escrituras dos outros, não podem ouvir as outras nuances da verdade, não podem ser tolerantes com outras revelações de Deus. A sua revelação é a única revelação, e o seu profeta é o único profeta. Tudo o resto é absolutamente falso. A característica deste primeiro tipo de religião é a imitação.
Cada pessoa nasce com uma individualidade única. A imitação é um crimem. Se tentar tornar-se como jesus, pode parecer-se como jesus, pode caminhar como ele, pode falar como ele, mas estará a perder. Perderá tudo o que a vida tem para oferecer. Jesus só acontece uma vez. Não está na natureza das coisas repetir-se. A existência é tão criativa que nunca se repete nada. Você é uma alma, individual, única.
O segundo tipo de religião é baseado no medo. É doentio, quase neurótico. É a religião do “não” “não faças isto, não faças “aquilo”, o medo é sempre negativo. Os dez mandamentos são baseados no medo, não façam isto, não façam aquilo. Dá uma certa rigidez, uma certa doses de represão. A palavra chave é o “inferno” o segundo tipo de pessoa está sempre com medo, age por medo, e independentemente daquilo que reprimir, nunca se livrará totalmente disso; na verdade está mais sujeita ainda, porque quando reprimimos uma coisa ela se enterra mais no fundo do nosso subconsciente. Alcança as nossas raízes e envenena todo nosso ser.
O terceiro tipo de religião baseia-se na cobiça. É a religião do “sim”. A sua palavra chave é ”paraiso”. Tudo tem de ser feito de tal maneira que o mundo, o outro mundo, esteje completamente seguro e nossa felicidade depois da morte esteja garantida. A religião da cobiça é formal, ritualista, ambiciosa, baseada no desejo. Este tipo de pessoa é basicamente mundano. Estes três tipos de religião estão todos misturados. Não é possivél encontrar uma pessoa que seja absoluta e unicamente pertencente ao primeiro, segundo ou terceiro tipo. Onde há cobiça há medo, onde há medo á cobiça, há ignorância, porque não podem existir uns sem os outros. Estes são os tipos inferiores de religião.
O quarto tipo é a religião da lógica, do calculismo, da esperteza. É uma religião do “sim” mais “não” : mundana, materialista, oportunista, intelectual, teórica, tradicional, baseada nas escrituras. Esta é a religião do pândita, do erudito que tenta provar a existência de Deus pela lógica, que acha que os mistérios da vida podem compreender-se através da mente. Este tipo de religião cria teologia, dogmas. Não é possível compreender a vida através da lógica.

Anónimo disse...

O quinto é a religião baseada na inteligência: a inteligência une, faz um todo das partes, porque esse é um dos maiores entendimentos: as partes existem através do tudo e não o inverso. A beleza pertence ao todo, é a graciosidade do todo. Deus é a maior de todas as totalidades. Deus não é uma pessoa, deus é uma presença, a presença quando a totalidade funciona em grande harmonia; as árvores, os pássaros e a terra, as estrelas, a lua, o sol, os rios e o oceano, todos juntos. Essa unidade é Deus.
A inteligência é o método para unir as coisas. Procura sempre um todo superior, porque o significado está sempre no todo superior. A inteligência busca sempre o mais elevado. O sexto tipo de religião é a meditação. Meditação é consciência, espontaneidade, liberdade, não tradicional, racional, revolucionária, individual. A pessoa volve-se para dentro de si própria. Abandona todas as direcções, todas as dimensões. Tentamos simplesmente ser nós próprios, tentamos simplesmente ser.
Depois temos o sétimo e último tipo de religião, o mais elevado: a religião da iluminação. A sua palavra chave é felicidade. Este setimo tipo é alegria, celebração, canções, danças, êxtase. A tranquilidade é boa é muito bela, mas falta-lhe alguma coisa; falta-lhe felicidade. Quando a tranquilidade começa a dançar, é felicidade. Quando a paz se torna activa, transbordante, é felicidade. Quando a felicidade está encerrada numa semente, é tranquilidade. E quando a semente brotou, e não apenas isso, mas quando a árvore floresceu e as sementes tornaram flores, então é iluminação. Esse é o tipo mais elevado de religiosidade. A paz tem de dançar e o silêncio tem de cantar. E a menos que a nossa tomada de conciência mais profunda se converta em riso, ainda falta alguma coisa.

O Livro da Compreenção
O caminho para a liberdade
Autor: Osho

R.O disse...

Sim eles “perderam” as cassetes das filmagens, ou queimaram-nas, para acabar com a polémica e impedir que se investigasse o assunto.

Eu recebo muitos emails a nem sempre tenho tempo de ir ao gmail :-)
Quando puder eu irei.

…………………………….
Acho que Zecharia Sitchin diz coisas úteis e tem provas da passagem de extraterrestres na Terra. Mas eu acho que ele erra quando fala dos annunaki bonzinhos, esses seres podiam ser mal-intencionados ou escravizarem a Humanidade.

Há quem diga que Zecharia é Maçon..
……………………..

Obrigado anónimo, visitei o teu blog greatwindow.blogs.sapo.pt é interessante e tem vários temas diversos..
abraço
…………………………

Oi Lucas, eu sou de Portugal portanto escrevi cépticos, ehehe
………………………….

Textos de Osho , sobre religiões?
Osho foi dos mais sábios que passou na Terra, muitos gurus falavam baboseiras, mas ele era inteligente.
Ele falou numa das palestras no Ashram, que religião era controle, toda a religião tenta controlar as massas.
A verdadeira religião é a pessoa ser livre e procurar o seu próprio caminho e experiências de vida, por si mesma, à luz do seu pensamento apenas…

The Truth disse...

Sílvio também concordo contigo relativamente aos annunaki serem seres malignos... acho que de facto eles eram e são seres malignos... ahhh e mais!!! Pelas peças de puzzle que juntei até agora creio que Annunaki e reptilianos sejam a mesma coisa n? Que achas?? Grande abraço! ;)

 


Realidade Oculta -